5G no Brasil: o que sabemos sobre a tecnologia?

5G no Brasil: o que sabemos sobre a tecnologia?
Freepik

Em novembro de 2021, a ANATEL, estatal que é a reguladora do setor no Brasil, realizou o “Leilão do 5G”, no qual estabeleceu diversos compromissos de abrangência (obrigações de atendimento com serviços de telecomunicações) para as empresas vencedoras. 

As principais responsabilidades da agência são fiscalizar e editar as normas para o setor, bem como intermediar os conflitos entre operadoras e consumidores. O leilão foi uma ótima notícia, porém é apenas o primeiro passo de tantos outros a serem dados na direção que colocará o Brasil conectado em alta velocidade e de forma confiável. 

O leilão vendeu várias frequências do 5G, mas ainda restam cerca de 15% a serem vendidas. A faixa de frequência mais disputada foi a de 3.5Ghz que impacta diretamente os usuários de smartphones. As empresas VIVO, Claro e TIM arremataram a principal faixa do 5G. 

As operadoras que não estão entre as citadas poderão sublocar, dependendo das negociações, e oferecer a novidade aos clientes.

O que é o 5G?

O 5G é, na verdade, a evolução da tecnologia de rede wireless, que chegou à sua 5ª geração. Segundo a ANATEL, a rede 5G é o mais recente padrão tecnológico para serviços móveis e revolucionará a comunicação no país.

E ela vem para trazer novas oportunidades de serviços, que não são operáveis pelo 4G por questões de capacidade. Conforme a própria agência diz em seu site: “O foco desta tecnologia não está somente no incremento de taxas de transmissão, mas também na especificação de serviços que permitam o atendimento a diferentes aplicações.”

É esperado um salto tecnológico gigantesco, bem como foi na época do 4G, que permitiu a “era dos aplicativos”. E não é para menos, pois, em 2014, quando foram estabelecidos os critérios para implantação da rede móvel 5G, a GSMA, organização internacional que cuida dos interesses da indústria mundial de comunicações móveis, estabeleceu que:

- A 5G deveria consumir 90% menos energia comparada com a 4G;

- A conexão entre aparelhos deve ser inferior a 5 ms (milissegundos), hoje com o 4G esse tempo é de 30 ms;

- Que o número de aparelhos conectados, deve ser entre 50 e 100 vezes maior que atual;

- E a duração das baterias dos aparelhos devem ser aumentadas de forma drástica.

Essas resoluções visam, além do ganho econômico e de desempenho, tornar a rede também mais ecológica.

A evolução é claramente percebida quando comparada com a 4G - que ainda usaremos por um bom tempo, em diversos lugares. Mais à frente falaremos o porquê disso.

Como funciona o 5G?

A nova geração dessa tecnologia oferece um grande upgrade para as comunicações, que terão capacidade para transmissão de altas taxas de dados e em baixa latência com segurança e confiabilidade, o que por si só são garantias de velocidade ao navegar.

Hoje, ao fazer um teste de velocidade de internet em casa ou no smartphone, nota-se que há velocidade plausível na banda de internet. Pode não acusar o total contratado, porém, em sua maioria, resulta em números acima dos 50% do contrato. Entretanto, há muitos travamentos e lentidão, o que causa diversos transtornos aos usuários. Tudo isso se dá graças à alta latência.

A latência é o intervalo de tempo entre os pacotes de dados de um ponto a outro. Entre seu dispositivo e o servidor do site que está navegando, por exemplo. Algo semelhante aos pulsos da internet discada. Ela depende da infraestrutura para acontecer. 

A rede é feita por aparelhos transmissores à exemplo da 4G, e no mundo há apenas 5 empresas com tecnologia para produzir esses equipamentos: Huawei, ZTE, Ericsson, Nokia e Samsung. Ou seja, existe também uma corrida tecnológica por trás do 5G.

O que esperar do 5G?

O 5G oferece ampla gama de possibilidades. Coisas futuristas, como os carros sem motoristas da Uber, e a casa automatizada por comando de voz, serão, sim, palpáveis ao consumidor comum - no que depender da conexão, é claro.

E a baixa latência é um dos atributos do 5G. Esse é o fator mais importante quando o assunto é atividades controladas remotamente. Robôs cirúrgicos, carros autônomos, e quaisquer outras atividades semelhantes, serão cada vez mais populares com essa nova rede.

A velocidade de conexão do 5G é o ponto alto dessa tecnologia, que entregará de 50 a 100 vezes mais velocidade que a atual, que oferece 33 Mbps. A nova rede poderá alcançar os 10Gbps

Tudo isso somado à capacidade de conectividade entre aparelhos, é o caminho para o perfeito funcionamento da “internet das coisas”. Onde tudo que possua um sistema operacional e uma conexão com a rede, pode se conectar e trabalhar em conjunto, automatizando mais o nosso dia a dia.

Todos os aparelhos suportam o 5G?

Como vimos, levará um certo tempo para o 5G ser implementado. Apenas alguns aparelhos smartphones estão prontos para usar a tecnologia, que sequer está operacional. Portanto, não é hora de sair correndo para trocar de plano ou de operadora, e nem mesmo de celular. 

Se for trocar de aparelho futuramente, sim, será melhor escolher um com 5G. Principalmente se você mora em uma capital. Mas, cuidado, pois as especificações do aparelho devem conter a tecnologia Sub-6 que é a correta para funcionar na nova rede. 

Até o momento são 64 aparelhos com 5G homologados na ANATEL, mas com vários lançamentos previstos, esse número irá crescer rapidamente. A lista está no site oficial da entidade.

Muitas operadoras venderam planos de internet móvel intitulados de “5G”. Acontece que não se trata da nova geração da tecnologia, mas de uma “turbinada” no 4G, que foi inicialmente chamada de 4,5G, mas seguindo a mídia americana, mudaram o nome. 

Quando a rede 5G estará disponível?

No primeiro semestre de 2022, o cronograma prevê que todas as capitais do país e o distrito federal já estejam operacionais. Depois, seguem as datas:

1º semestre de 2025: todas as cidades com 500 mil habitantes;

2026: todas as cidades com 200 mil habitantes;

2027: todas as cidades com 100 mil habitantes;

Em 2029, todas as cidades com 30 mil habitantes terão, no mínimo, uma estrutura básica do 5G.

Ainda tem um longo processo até que esteja funcionando, mas podemos esperar uma grande revolução na comunicação e muitos avanços tecnológicos, principalmente no que se refere a atividades remotas.

É bom ver que não estamos parados quanto a isso, já que o 5G aumentará a amplitude de conectividade com diversos tipos de máquinas, e possibilitando ainda mais interatividade entre elas. O que vai ajudar, inclusive, a acelerar o desenvolvimento das tecnologias de Inteligência Artificial.

A nova rede deve revolucionar os equipamentos com realidade aumentada, projeção holográfica e transmissão em tempo real. Há quem diga, que o próprio Metaverso foi criado pensando nessa evolução da rede móvel, pois ela tornará o projeto ainda mais palpável.

O que sabemos é que o 5G vai transformar muita coisa, principalmente a forma de se comunicar. E você, está pronto para viver tudo isso?




Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo