A evolução do Open Banking para a fase 2



Em sua 9ª edição, a Open Banking Lives aborda tópicos importantes sobre a trilha rumo a 2ª fase de um novo sistema financeiro e bancário. Com a participação de especialistas, o evento aborda temáticas variadas como educação de usuários, oferta de produtos e possíveis benefícios às instituições.

 

O mercado se prepara para implementar a 2ª fase do sistema financeiro aberto, com previsão para ser implementada em 15 de julho. A 9ª edição da “Open Banking Lives” trouxe como temática central a evolução desse sistema e de seus players durante esse processo.

O evento contou com a participação de Bruno Loiola, Chief of Growth Officer na Pluggy, e Carlos Augusto de Oliveira, Diretor no ABBC. Além deles, a edição teve como especialistas convidados Elaine Shimoda, Diretora de Operações no Mercado Pago, Ingrid Barth, Fundadora do Linker, e Pedro Begotti, Banco ABC Brasil.

De acordo com Ingrid, as próximas preocupações envolvendo o Open Banking, devem estar vinculadas ao engajamento de usuários e não somente de entidades. “Na minha opinião pessoal, primeiro de tudo, realizamos esse engajamento com educação”, conta a empresária, “precisamos ter certeza de que a linguagem seja simples e acessível a todos”.

Com a implementação do Open Banking, a relação de poder entre instituições bancárias e usuários muda e Begotti acredita que a população precisa começar a se empoderar e entender que é dona de seus próprios dados. “A informação e os dados são meus e eu compartilho com quem eu quiser. Essa não é mais uma escolha ou desejo das instituições”, explica o especialista.

Além disso, a live também abordou outros tópicos como o mercado financeiro, oferta de produtos Open Banking para pequenas e médias empresas, o estimula à concorrência e o benefício da adoção desse sistema bancário instituições e seus clientes.

Quer entender um pouco mais sobre a palestra? Vem conferir o vídeo!

Topo