O que é No-Code e quais são as vantagens dessa tecnologia?

O que é No-Code e quais são as vantagens dessa tecnologia?
Descubra as vantagens do No-Code | Crédito: Unsplash

O desenvolvimento No-Code muda a maneira como as empresas constroem aplicativos, permitindo que os usuários construam fluxos de trabalho complexos sem escrever uma única linha de código. 

A tecnologia evoluiu e possibilitou a criação de plataformas que agilizam os processos de desenvolvimento de software de maneira rápida e efetiva. É uma solução personalizável, segura e econômica impulsionada por ideias, e não por conhecimento técnico.

O No-Code cria oportunidades para as empresas desenvolverem aplicações de maneiras que não pensavam serem possíveis. As plataformas No-Code e Low-Code democratizam o desenvolvimento de softwares e agilizam entregas de soluções com custo reduzido. 

Quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo este artigo e aproveite para se aprofundar no tema. 

O que é No-Code? 

Na prática, No-code é a entrega de uma aplicação sem exigir conhecimentos em linguagem de programação. Nessa forma de desenvolvimento, o trabalho é realizado com mais rapidez e de forma intuitiva e acessível.

Com isso, qualquer pessoa pode criar aplicativos, tornando uma plataforma No-Code muito prática. Assim como o Low-Code, o No-Code proporciona a chance de qualquer pessoa ver suas ideias se tornarem realidade. 

Independentemente do nível de conhecimento, essa abordagem permite que os projetos sejam realizados com rapidez. As plataformas No-Code e Low-Code podem ser usadas para criar aplicativos móveis, web ou de voz, além de ferramentas internas, integrações e automação de tarefas. 

Sem codificação, é possível conectar vários softwares e criar fluxos de trabalho automatizados com o Zapier.

Desenvolvedores e outros com conhecimentos técnicos mais profundos ficam livres do fardo de escrever grandes quantidades de código a partir do zero, permitindo que dediquem seu tempo a projetos mais sofisticados. 

Todavia, o No-Code não elimina a necessidade deles, já que haverá sempre uma demanda por sua experiência na criação e ajuste de soluções de tecnologia.

‍A diferença é que designers assumam o controle de um site, ajudando alguém a lançar um negócio ou apenas liberando os desenvolvedores para gastar mais tempo em problemas tecnicamente complexos. 

O que é Low-Code?

Low-code é uma das novas e menos comuns formas de desenvolvimento de software. Mesmo sendo menos técnico ainda depende de linguagens de programação. 

Normalmente, os aplicativos são construídos “arrastando e soltando” blocos de código em um ambiente de desenvolvimento que oferece recursos e fluxos de trabalho prontos para uso.

Como o nome indica, o Low-Code usa menos código personalizado do que a codificação tradicional. Além disso, requer menos conhecimento técnico. No entanto, a maior vantagem é construir soluções rapidamente.

Quais as diferenças entre No-Code e Low-Code?

As soluções No-Code exigem pouco treinamento para usar a ferramenta e possibilita criar aplicativos rapidamente.

Da mesma forma, o desenvolvimento de aplicativos Low-Code tem foco na criação de aplicativos úteis e projetados adequadamente que satisfaçam todos os requisitos de negócios e requisitos de TI, reduzindo a dependência de TI/desenvolvimento. 

A maior diferença é que o Low-Code ainda exige conhecimento em programação do usuário para criar aplicações. Com isso, a equipe ainda precisa de um programador para finalizar os projetos. 

1 — Mais produtividade 

A velocidade oferecida pelo desenvolvimento No-Code permite que você teste ideias rapidamente, construa sobre ela se funcionar e repense se o resultado diferir do esperado. O processo rápido e iterativo ajuda você a pensar em novas soluções rapidamente e se concentrar mais em outras tarefas relacionadas aos negócios.


2 — Flexibilidade na criação de aplicativos personalizados

O desenvolvimento tradicional de software está enraizado em código legado e modelos rígidos de dados. Os desenvolvedores de aplicativos devem definir todas as entidades (por exemplo, quais aplicativos de terceiros precisam ser integrados) desde o início, o que pode dificultar o início de um projeto.

Isso cria uma necessidade de modificações, atualizações, outro processo de trabalho intensivo mais tarde. No-Code, seus dados são armazenados em um documento JSON ao invés de um modelo de dados, permitindo que você carregue as informações de forma mais rápida e lógica. 

Sem esquemas complexos, você tem a flexibilidade de começar a construir imediatamente, com liberdade para fazer ajustes e redirecionamentos em tempo real. Em suma, você não passará incontáveis horas negociando a estrutura de seus documentos novamente.

3 — Redução de custos

Projetos complexos de codificação podem ter um pedágio no resultado de uma empresa, não apenas em termos de contratação de engenheiros especializados, mas também no caso de manutenção futura do legado.

Essa etapa pós-lançamento pode ser um enorme dreno em recursos da empresa. Modificar ou corrigir o trabalho de um programador requer mergulhar profundamente no código para realizar engenharia reversa. 

Com o tempo, isso significa que as empresas pagarão por desenvolvedores altamente caros para manter um status quo. Assim, com as plataformas No-Code (e também Low-Code), não há necessidade de manter o código legado. 

Estas soluções podem trabalhar ao lado dos sistemas legados existentes, permitindo que seus desenvolvedores mantenham o que funciona e mudem o que for necessário. 

Isso resulta em construções mais rápidas, sem custos de manutenção, e mais tempo para as equipes de negócios e TI se concentrarem no que realmente importa: criar vantagem competitiva.


4 — Autonomia para a empresa

A palavra Autonomia tem sua raiz no idioma grego, significando “auto-legislatura” ou “autogovernança”. E no sentido mais simples, tem tudo a ver com a capacidade de uma pessoa fazer suas escolhas de acordo com seus valores e interesses.

Muitas organizações sofrem de um problema comum: como fornecer aplicativos de forma rápida e impecável sem hordas de desenvolvedores internos. 

Aplicativos desenvolvidos por consultorias terceirizadas exigem um investimento muito maior, enquanto desenvolvedores freelancers trazem seus próprios desafios.

Quando você trabalha com plataformas No-Code, a empresa tem autonomia para trabalhar seus projetos sem depender de pessoal mais técnico. 

5 — Simplifica a prototipagem

As plataformas No-Code oferecem uma camada de abstração sobre o código. Ou seja, eles pegam os fundamentos do código e os traduzem em uma solução com simples comandos de arrastar e soltar. Com isso, possibilita que os criadores criem aplicativos e sites modernos visualmente.

Os protótipos iniciais de um produto digital geralmente não precisam nem perto do investimento em engenharia, como na fase de lançamento.

No início, algo tão simples quanto uma série de imagens bem projetadas pode ser suficiente para comunicar a ideia central a potenciais investidores e usuários iniciais.

À medida que o conceito evolui, mais fidelidade será necessária. Contudo, mesmo assim, ferramentas como Webflow, Bubble, Adalo e Zapier podem fornecer experiências que suficientes para despertar o interesse e validar hipóteses. 


6 —  Proporciona velocidade no lançamento
 

O atual mercado de aplicativos se encontra saturado e os consumidores passaram a esperar entrega rápida e experiências incríveis. 

Para acompanhar a demanda, os desenvolvedores geralmente fazem tudo o que podem visando colocar seus produtos nas mãos dos clientes o mais rápido possível. Dessa forma, conseguem manter sua vantagem competitiva.

Nenhum código oferece funcionalidade rica e a capacidade de transformar projetos em uma fração do tempo que levaria se construído usando opções tradicionais ou de Low-Code. 

As interfaces visuais No-Code fazem a ponte entre a ideia e o aplicativo, ajudando os desenvolvedores a levar os produtos ao mercado mais rapidamente com menos dores de cabeça.

7 — Colaboração entre equipes
 

No-Code facilita a cooperação entre as equipes

No-Code facilita o trabalho em equipe | Crédito: Unsplash 

No desenvolvimento tradicional de aplicativos, geralmente há algum nível de desconexão entre os líderes empresariais e as equipes de TI que os apoiam. 

Os times de negócios muitas vezes delineiam as diretivas e as passam para os outros colaboradores que trabalham para construir projetos que podem ou não atingir a marca.

As plataformas No-Code promovem transparência e colaboração entre as equipes e permite que a empresa trabalhe em tempo real. E, como essas soluções exigem experiência de codificação zero, analistas de negócios e engenheiros podem se envolver para ajudar a dar vida a um produto.

8 — Acessibilidade: quebrar barreiras estruturais

O trabalho de TI tem sido tradicionalmente inacessível para aqueles sem conhecimento especializado. Nas empresas, isso se manifesta como uma divisão rigorosa do trabalho: equipes de negócios trazem ideias e as equipes de TI transformam em realidade.  

Essa estrutura cria gargalos e atrasos nos projetos, já que os executivos não pesam os impactos de entregar projetos cada vez mais complexos para desenvolvedores com poucos recursos.

O No-Code torna todos parte do processo de desenvolvimento de aplicativos, independentemente da experiência. Ao aumentar o número de pessoas que conseguem contribuir para a construção de aplicativos, as empresas podem começar a cortar em seus backlogs de projeto, economizando tempo e dinheiro.

9 — Reduz a codificação manual

A codificação manual se refere à escrita do código funcional. Produzir aplicativos inteiramente dessa forma é um processo demorado. Mesmo assim, muitos softwares ainda são construídos assim.

O No-Code dá aos desenvolvedores um avanço ao oferecer catálogos de módulos pré-construídos no ambiente visual, garantindo que eles não precisem fazer códigos em mãos em aplicativos inteiros. 

O tempo gasto em desenvolvimento é encurtado, enquanto os desenvolvedores não têm que se preocupar em escrever e reescrever blocos mundanos de código. 

Como o No-Code é uma abordagem flexível, desenvolvedores experientes podem confiar nos módulos pré-construídos para os fundamentos.

Em seguida, optar por mudar para codificação manual para os elementos visuais mais particulares, por exemplo, quando algo não está incluído na biblioteca de design de soluções.

Os projetos podem ser mais bem definidos, garantindo que sejam adequados ao seu propósito, enquanto os desenvolvedores podem se concentrar em segmentos mais valiosos do negócio.

10 — Interoperabilidade

Com a codificação tradicional, pode ser difícil alterar um recurso ou função a qualquer momento, especialmente se você não estiver familiarizado com o idioma em que seu aplicativo foi escrito.

Mesmo que você entenda a linguagem, a documentação e as peculiaridades do trabalho programador, é importante ter uma visão completa do projeto. 

Em um ambiente No-Code, no entanto, você conta com a interoperabilidade. Se você precisar alterar algo, basta ajustar a parte do aplicativo que precisa ser ajustada e o back-end No-Code cuidará das alterações do front-end para você.

Tire suas ideias do papel

Com as plataformas No-Code, as equipes de marketing e design podem iniciar o projeto com flexibilidade, ao invés de chamar um programador para criar e conectar um banco de dados às suas páginas de conteúdo dinâmicas.

Ao liberar seus colaboradores da dependência de outras pessoas, você também torna o caminho para o lançamento do aplicativo mais rápido e fácil.

Neste cenário, seu designer pode trabalhar no visual do software e seu estrategista de conteúdo pode lidar com a modelagem e a estrutura. Além disso, a equipe de marketing pode lançar novas campanhas publicitárias com recursos que eles mesmos criaram. 

De fato, trabalhar com times menores proporciona rapidez, mas isso não quer dizer que você pode pular etapas importantes, como pesquisa, entrevistas com especialistas no assunto ou revisões das partes interessadas. Essas etapas podem retardar o processo, mas são indispensáveis ​​e muitas vezes podem ser feitas em paralelo com outros trabalhos.


Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo