API REST ou gRPC? Qual adotar?

API REST ou gRPC? Qual adotar?

API – Application Programming Interface – é o conjunto de rotinas e padrões de programação documentados que permitem a interoperabilidade entre softwares e usuários.

Por exemplo, diversas companhias aéreas, cada uma com seu próprio sistema interno onde armazenam as informações de vôo para venda. Cada um desses sistemas é construído com lógica e tecnologia específica, umas diferentes das outras. Tais sistemas disponibilizam APIs que são acessadas através da internet por agências de viagens, também possuidoras de sistemas feitos com tecnologias diferentes. A API é a interface comum que une esses sistemas.

Desde sua incepção, as APIs evoluíram muito. Com a internet então, as necessidades ficaram ainda mais específicas.

Em 2000, Roy Thomas Fielding, um dos autores da especificação HTTP, especialista em arquitetura de rede de computadores, introduziu o Representational State Transfer, o REST. É um estilo arquitetural, no qual são definidos princípios de engenharia de software e restrições para criação de webservices.

Em 2015, o Google criou o gRPC, um framework free e Open Source. É parte da Cloud Native Computation Foundation (CNCF). É um serviço de alta performance baseado em Remote Call Procedures (RCP), permitindo que você apenas defina requests e responses, e ele cuida de todo o resto.

Afinal, qual dos dois utilizar? Quais os parâmetros, situações e aplicabilidades onde a recomendação é um ou o outro? Descubra sobre isto e muito mais clicando aqui!

Este artigo foi resumido e adaptado do conteúdo que você acessa clicando no link acima. Conecte-se com o autor via Linkedin clicando aqui.

Topo