Can we go beyond?

Can we go beyond?
imagem do projeto I AM, realizado pela Finansystech em conjunto com a Open Future World

 

Quatro meses depois do Open Banking World, falamos com Nick Cabrera, da Open Future World, sobre a comunidade Open, o projeto I AM e a parceria com a Finansystech

 

O site do portal inglês Open Future World traz uma missão ousada já em seu primeiro banner: ser a principal fonte de informação do mundo Open Banking – e além. Este tem sido o lema com que o empresário Nick Cabrera, co-fundador da empresa, tem trabalhado em seus projetos. Nick tem mais de 30 anos de experiência em eventos no mercado financeiro. É falante e simpático. Ágil e rápido nas decisões. Como entusiasta de novas tecnologias e inovações, sempre entendeu o valor de criar eventos ao redor de novas comunidades. 

A experiência da Finansystech com Nick se tornou muito intensa em 2021, quando a empresa decidiu se tornar patrocinadora sênior do Open Banking World, um dos maiores e mais importantes eventos do mundo sobre o assunto. Em sua segunda edição, este foi o primeiro encontro presencial pós-pandemia – e mais, realizado em um resort paradisíaco na Espanha. O evento reuniu os maiores nomes do setor e deixou claro para todos o papel de community leader que Nick e sua equipe têm em todo o processo. À seguir, temos um pouco sobre como chegamos até aqui. E por que é preciso ir além. 

 

Keep calm and open finance

O Reino Unido é referência em inovações financeiras. Além das oportunidades geradas no final dos anos 1990, onde foram criadas novas tecnologias que procuravam diminuir o uso do dinheiro em papel, reguladores começaram a separar o mercado bancário e as atividades de investimento depois da crise de 2008. E esta foi a primeira leva de demandas e oportunidades para a criação de ferramentas Open Banking. Segundo Nick, "uma convergência de ideias e tecnologias” começou a surgir, algo que culminou no que o Open Banking é atualmente. Até então, eram apenas tendências. Hoje podemos ver a expansão disso em vários setores, como a saúde ou seguros.

Com o avanço desse mercado, Nick e sua equipe começaram a planejar eventos de grande porte focados na indústria emergente de Fintechs globais – mais especificamente em um tema que até hoje é mistério para muitas empresas e instituições em todo o mundo: o open finance. And then... here comes the pandemic. 

 

Keep calm and pause

Com a pandemia, veio uma pausa. Os eventos presenciais – grande foco da Open Future World – entraram em stand by. E aqui se revelou uma nova demanda desse universo: a criação de uma comunidade ao redor do tema. Afinal, o setor ficou carente de uma fonte de informação – era clara a necessidade de construir um ponto de referência sobre o assunto. 

Com isso, a Open Future World logo se tornou uma das maiores comunidades globais ao redor do Open Banking, já que continuava oferecendo notícias, artigos e eventos online. Neste processo, algo chamou a atenção: 20% da audiência do site vinha do Brasil – um país também com forte tradição em inovação no mercado bancário e financeiro, que estava despontando como referência no Open Banking.



Open to business

Com o fim da pandemia, veio a parceria com a Finansystech, que se tornou não só a primeira patrocinadora sênior brasileira, mas também a primeira startup a dar um passo tão ousado. 

“Foi um momento particularmente bom para a Finansystech aparecer e dizer ‘estamos aqui, somos uma empresa brasileira forte e inovadora, e temos algo para te contar, para te mostrar, temos serviços que a indústria vai precisar''', diz Nick.

A responsabilidade da parceria foi importante para a Finansystech que, além do aporte financeiro voltado ao posicionamento de marketing, também criou o projeto I AM, apoiado pela Open Future World. Mais do que levar sacolas, canecas e cadernos, era necessário levar transformação ao evento. 

Ao chegar no resort, cada participante recebeu um cartão de acesso – como um cartão de crédito – que ativou uma carteira digital com um NFT, parte de uma imagem única, produzida especialmente para o evento pelo artista brasileiro Lincoln Lima. A obra foi dividida em um quebra-cabeças de 300 partes. Além disso, o projeto trabalhou em conjunto com a Carbon Free Brasil e está plantando e mantendo mais de mil árvores e preservando mais de 8.000km2 de florestas nativas no estado de São Paulo. Os custos do projeto estão sendo cobertos pela Finansystech, em conjunto com a Open Future World. Um projeto de impacto real e direto, envolvendo tecnologia, arte e inovação. Pela primeira vez em sua história, o OBW contou com uma ação do tipo – até onde sabemos, uma ação única no mundo.

No Open Banking World 2022, ficou claro que as distâncias geográficas podem, na verdade, aproximar as pessoas. “Ninguém poderia fazer isso sozinho, nem mesmo em seus próprios países. O compartilhamento de ideias e novas tecnologias é a única maneira em que o mundo pode estar conectado.”, conclui Nick.


Acesse Open Future World e Finansystech


Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo