A hora e a vez do online no setor da saúde mental

A hora e a vez do online no setor da saúde mental

Imagem: valeriygoncharukphoto / Envato Elements

Antes da pandemia do Coronavírus eclodir no início de 2020, psicólogos e psicanalistas deviam atender pacientes ou analisandos pelo sistema online apenas em casos extremos, quando o psicólogo e o paciente ou o psicanalista e o analisando não estivessem na mesma cidade e o paciente ou o analisando entrasse em algum tipo de crise. Quem atendia sistematicamente pelo online era malvisto.  

Com a obrigatoriedade do isolamento social, fez-se necessário aceitar o atendimento online. As pessoas não podiam interromper o processo terapêutico. Mais do que isso: passaram a precisar mais da terapia com as dificuldades trazidas pelo novo momento social. Vou além: muitas pessoas perceberam que precisavam de suporte emocional. 

O isolamento social descortinou dramas que estavam ali há muito tempo, mas que ficavam em segundo plano por conta da agitada agenda presencial. As pessoas passaram a conviver mais com a família. Passaram a conviver mais com elas mesmas e muitas consideraram a própria companhia insuportável.  

O online democratizou e singularizou o atendimento no setor da saúde mental. Muitos profissionais e pacientes/analisandos já perceberam que o sistema online é mais econômico, mais prático, mais seguro e mais pessoal. Antes da pandemia, o grande critério para escolher um analista era a localização geográfica. 

Buscávamos alguém que tivesse um consultório no bairro da nossa residência ou no bairro do nosso local de trabalho. Hoje, podemos escolher alguém com quem realmente nos identificamos. O divã utilizado por todos foi substituído pelo sofá da nossa sala, por nossa poltrona favorita, pelo banco da varanda.

É possível falar dos nossos sentimentos contemplando o pôr-do-sol, bebendo uma caneca de café feita por nós, os pés envoltos em meias velhas e confortáveis, nosso pet no colo. Somos vistos por nosso analista no nosso cenário. O analista, por sua vez, pode cobrar valores mais acessíveis pois não precisa manter um consultório. Pode atender na sua casa também.  

Mesmo com a possibilidade do atendimento presencial novamente, muitas pessoas têm optado pelo online. O presencial não deixará de existir, mas o online é uma realidade consolidada.  Veio para ficar. A medida de urgência virou opção preferencial para muitos profissionais e pacientes/analisandos.

A crise trazida pela pandemia mostrou que é possível sim atender muito bem pelo online. Por isso gosto de crises. Elas nos ajudam a quebrar preconceitos e a elaborar soluções criativas. Elas ampliam o campo de visão.

Atualmente, como psicanalista e professora, tenho atendido apenas pelo online, o que me tem permitido conhecer pessoas residentes em diversos países e regiões brasileiras. Os atendimentos online me possibilitam uma rotina com mais tempo livre e tenho vivenciado verdadeiras aulas de Antropologia e de singularidade! 


Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo