1984 demorou, mas chegou

1984 demorou, mas chegou

É isso mesmo que você leu, 1984 é agora, e existe uma única coisa que você não sabe sobre isso, mas deveria, se quiser saber o que é, leia o artigo!


 

No célebre livro 1984, George Orwell cita a existência de um objeto chamado ""teletela"": uma tela colocada no quarto das pessoas pelo Estado, e que teria a função de uma câmera de vigilância e uma televisão, e esse dispositivo não poderia ser desligado, pois bem, os celulares são as teletelas de hoje.

Nada, no mundo antigo, se pôde comparar com a Biblioteca de Alexandria depois que ela foi construída, no mundo contemporâneo nós temos a internet, que é a Biblioteca de Alexandria elevada à milésima potência.

E a descentralização do conhecimento não foi o único benefício: você tem acesso a filmes, tutorias, jogos, músicas de todos os tempos, palestras, cursos gratuitos de Harvard, obras de arte raras, comunicação instantânea e etc.

Só que como nós não estamos no Éden, não há nada 100% bom: a tecnologia aliada à computação que resultou nós smartphones de hoje é muito mais avançada do que o nosso próprio cérebro, que aliás é o mesmo cérebro daqueles seres humanos que lá atrás, deixaram de ser nômades e passaram a se fixar e fundar povoados.

No início da civilização, nós vivíamos em grupos pequenos, de no mínimo 30 pessoas, e nesse meio a sua reputação era de enorme importância, já que ser expulso significaria virar o almoço de um leão, o mundo mudou, e o cérebro, não, e é por isso que você talvez se importe com a opinião de desconhecidos sobre você nas redes sociais, mesmo eles não fazendo nenhuma importância real na sua vida.

Também há a questão da privacidade nas redes, se você tem redes sociais, as suas informações estão no banco de dados deles, a alternativa é se expor o menos possível na internet, a teletela está em suas mãos.

O celular hoje, no terceiro milênio, século XXI, é indispensável, logo, use-o com parcimônia, se exponha o mínimo possível e por favor: não permita que uma ferramenta te use, quando deveria ser o perfeito contrário.

Imagem de capa - Cartaz promocional do filme ‘1984’ com a mensagem “O Grande Irmão está te vigiando” (1956) Alamy (CORDON PRESS)

Topo