Homem-Aranha Sem Volta para Casa. O Amadurecimento de Parker

Homem-Aranha Sem Volta para Casa. O Amadurecimento de Parker

Imagem de capa - Divulgação/Sony

Homem-Aranha estão de volta. Apesar do título que pode parecer sobre a necessidade de sair da própria casa agora que sua identidade foi revelada, a missão do Homem-Aranha agora é mandar um monte de vilões para seus respectivos lares.

Chegou o momento de acompanhar Peter Parker entendendo o que faz dele o herói que é. Aquele momento em que, tal qual pais de pré-adolescentes precisam ter “a conversa” com seus filhos, alguém explica ao pequeno Peter sobre as cegonhas, sobre as abelhas e o mel, sobre sexo seguro e sobre aquele lance de poderes e responsabilidades.

Tirando a parte do “Para Casa” e focando na parte do Sem Volta... Nada será como antes. Mais que a mudança de endereço, temos várias decisões tomadas que afetam muitas vidas. Tal qual Vingadores: Ultimato, não há como regressar ao status quo anterior.

Peter Parker: Vida de ex-BBB

Contra a própria vontade, Peter agora é famoso, incrivelmente famoso. Perigando sair na capa da revista Time de tão famoso. Tentar reverter esse mal causado pelos aliados do Mystério e potencializado por J. J. Jameson é o que dará início a toda essa bagunça de visitantes extradimensionais.

Antes só queriam tirar fotos do Homem-Aranha, agora mesmo sem máscara e uniforme, continuam querendo fotos e vídeos de Peter Parker, tipo um ex-bbb que acabou de sair do programa. (imagem: Divulgação/Sony)

Ao invés de cobrar caro para dar entrevistas, vender autógrafos e produtos licenciados, Parker buscou o Doutor Estranho para ter sua identidade esquecida, porque toda essa fama o atrapalha, mas o problema é que também prejudica sua tia e seus amigos, com os três sendo recusados por todas as faculdades com medo dos holofotes. 

Tal como a barca do primeiro filme da trilogia, Peter tenta dar um jeitinho nessa situação e tal como a barca, a coisa toda começa a afundar muito rápido. 

Após algumas cenas capturando vilões diversos, tia May debate com seu sobrinho preferido sobre ajudar esses vilões que podem morrer ao voltarem para suas realidades e sobre a importância de dar uma segunda chance.

Decidido a ajudar até mesmo o pior dos vilões, Peter explica seu plano do Doutor Estranho e quanto o ex-mago supremo diz que não, é aí que o filme começa de verdade.

Ned Leeds: Aprendiz de Feiticeiro

Ned e MJ estão sempre presentes e prestativos, em meio a essa loucura de trancar Estranho e “fugir com a chave”, Ned acaba ficando com o anel que permite abrir os portais.

O MCU ainda não esclareceu se é obrigatório ter poderes místicos para usar magia ou se um “trouxa” com o item certo pode fazer um truque. Independente da resposta, eu adoraria ver Ned fazendo isso mais vezes. Imagina só o Ned graduado em engenharia pelo MIT com especialização em engrenagens místicas pelo Sanctum Sanctorum.


O autointitulado “cara da cadeira” pode muito bem ser um aliado mágico no futuro.  (imagem: Divulgação/Sony)

Ned amadureceu muito em Homem-Aranha Longe de Casa. Seu personagem já está pronto para ser um bom homem assim como já estava pronto para ser um bom amigo desde o primeiro filme, é bom ver alguém com tamanha inteligência emocional no grupo.

Michelle Jones: Pronta pra tudo, de preferência no térreo

Se ela não quer usar o Watson, a nós só cabe respeitar sua decisão. MJ foi pouco a pouco, filme a filme, baixando sua guarda para permitir que Peter e Ned se aproximassem. Isso não deve ter sido nada fácil para ela. Que bom que foi devidamente recompensada com amizades honestas e sólidas.

MJ já era uma garota disposta a fazer e acontecer desde sempre, então uma vez firmada como amiga de Ned e mais que amizade com Peter, ela não foge quando os problemas aparecem, ela está pronta pra enfrentar e ajudar.


Namorar um cara que se joga de prédio em prédio? Okay, mas se puder namorar no chão, ela prefere. (imagem: Divulgação/Sony)

Venhamos e convenhamos, Michelle tem as prioridades no lugar, mesmo que sua colaboração direta possa ter sido menor que no filme anterior ela fez o seu papel (trocadilho proposital) muito bem. 

Parker & Parker: Associados pela regeneração

Fora os seres que se alimentam puramente de hype, acho que o mundo não estava preparado para isso. A quantidade de acordos que devem ter sido costurados para a realização dessa obra deve ter sido mais assustadora que as cenas de sustos da primeira trilogia.

O Peter Parker que conhecemos não daria conta de resolver esse problema tão grande sozinho nem com a ajuda de seus amigos. Como os Caça-fantasmas só combatem seres do além, a melhor alternativa foi chamar Peters alternativos.


Se tivessem guardado a participação dos outros Aranhas como segredo absluto até o lançamento, esse nerd que vos escreve teria surtado de emoção ao ver o filme. (imagem: Divulgação/Sony)

Vindos de suas próprias realidades, Tobey Parker e Peter Garfield, os cabeça-de-teia dos outros filmes da Sony, aparecem com a justificativa de ajudar o jovem Homem-Aranha a enfrentar seus vilões, digo, os vilões deles, digo, nossos vilões, digo… Você me entendeu…

O que nos leva a parte mais bela desse filme, regenerar vilões é quase um bônus ali, a verdadeira razão narrativa da presença desses outros Homens-Aranha é muito maior que isso!

Tobey Maguire e Andrew Garfield estão nesse filme para ajudar Tom Holland a entender, assimilar e internalizar os ensinamentos que May Parker tentou passar para seu sobrinho.

Claro que catarse é uma via de mão-dupla, cada um ali precisava expurgar a própria culpa, lidar com os próprios demônios (você não, Mephisto!) e entenderem que certas coisas precisaram acontecer da forma como aconteceram para que acabassem se tornando quem se tornaram.

Peter Parker: O Homem-Aranha

Eu já escrevi aqui porque Tom Holland é o melhor Homem-Aranha do cinema. Mas é só agora que teremos o verdadeiro Homem-Aranha, não que os anteriores não o fossem à sua própria maneira, mas foi só após estrelar três filmes que esse Peter Parker do MCU se tornou o Homem-Aranha ao qual estava destinado a ser desde sempre e em qualquer realidade.

De certa forma, o Aranha de Tom Holland esteve protegido até aqui, sempre havendo alguém para servir como apoio, como rede de proteção ou para limpar sua barra quando tudo deu errado.

O Peter Parker que vemos nos minutos finais de Homem-Aranha Sem Volta para Casa é um cara muito distante do adolescente animado que foi para a Alemanha roubar um certo escudo. Mais evoluído, sábio e maduro. Esse Homem-Aranha agora vai jogar suas próprias redes de proteção para cair em segurança nas suas próprias teias e nas de ninguém mais.


Amadurecer demora e dói. Mas esse Peter Parker aprendeu as poses e as responsabilidades de ser o Homem-Aranha. (imagem: Divulgação/Sony)

Já foi anunciada uma nova trilogia focada nele, espero que Peter não se torne o novo Homem de Ferro. Como o próprio Tony desejou, quero que ele se torne um herói ainda melhor do que Stark foi.

Não sou de criar expectativas, mas prevejo que esses novos filmes terão potencial para erguer o Homem-Aranha ao pódio de melhor herói de todos os tempos, afinal com o poder de seis filmes próprios, vem a responsabilidade de ser a absoluta melhor versão de si mesmo em todo o multiverso.


Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo