30 horas Computador

30 horas Computador
Imagem do manual do usuário do 30 Horas Computador do Unibanco do meu acervo particular

O 30 Horas Computador foi meu primeiro grande projeto dentro do Unibanco, neste pude efetuar várias funções e ajudar outras tantas pessoas, para que, ao final, tivéssemos um serviço de primeira linha para a época e que até hoje é uma referência para quem deseja construir uma ferramenta de relacionamento entre o cliente e o banco.

Foi onde desenvolvi grande parte do meu conhecimento sobre processos bancários remotos, com a equipe da agência de retaguarda, com a equipe do Telefone 30 Horas, com o pessoal de Projetos de Negócios e com um parceiro do banco naquela época, a EverSystems, onde um dos proprietários era dono da BBS, o Canal VIP. 

Foi um momento, também, que estava nascendo meu segundo filho, assim, tinha duas grandes vitórias e dois grandes desafios pela frente; manter e acompanhar o crescimento dos dois ocupou todo meu tempo. Sinto orgulho daquela época e de tudo que fiz a partir dali.

A partir de agora inicio um livro virtual com todas as novidades deste e dos outros projetos que participei em todos estes anos e, também, os desafios que vêm pela frente.

Vários itens nasceram com o projeto do 30 Horas Computador; o manual do usuário cliente e o disquete com o programa para se conectar à nossa BBS, a Central Eletrônica SP, eram distribuídos aos clientes quando a instalação do sistema era feita pelos apóstolos, uma equipe que cuidava da parte de negócios e suporte técnico, e que visitava os clientes.

Um sequencial de 71 linhas discadas faziam o atendimento das ligações dos clientes. Essas linhas eram conectadas a um rack de modems que chegavam a 2400 bps, ligados a placas multiseriais instaladas em quatro servidores Microtec. Esses servidores estavam interligados numa rede de um sistema operacional denominado Virtuos, que misturava recursos de um Linux com o DOS, sistema operacional da Microsoft.

Toda essa infraestrutura ainda tinha uma conexão, através de uma LPCD, com o mainframe do banco, que fornecia os saldos e extratos das contas bancárias dos clientes. Nos servidores, foi instalado um gerenciador de banco de dados que cuidava dos cadastros dos clientes e suas operações.

Aqui vou contar a primeira história desta época. Tínhamos uma equipe que foi denominada de apóstolos pois, além de serem em 12, também tinham a tarefa de ir até o cliente, instalar o software no ambiente do cliente, terminar o cadastro do cliente, criando as senhas e ensinar sobre o uso do serviço.

Com um agendamento da visita, através de uma ligação para verificar as condições do ambiente do cliente, se iniciava o processo para efetuar a instalação do serviço.

Num destes agendamentos, um apóstolo liga e pergunta:

- O Sr. Cliente se encontra?

Do outro lado, a pessoa que atendeu diz que o cliente não se encontra.

Na intenção de não perder tempo e adiantar o questionário, o apóstolo pergunta:

- Existe computador na casa?

A pessoa do outro lado diz:

- Sim.

O apóstolo então questiona:

- Tem um modem instalado junto ao mesmo?

A pessoa pergunta:

- O que é modem?

O apóstolo, convicto que consegue explicar o que é um modem, diz:

- É um aparelho preto com umas luzes vermelhas.

A pessoa, então, responde:

-Sim, ele está até ligado.

O apóstolo, então, pergunta quando o cliente vai estar em casa e marca a visita para a próxima semana.

Chega o dia da visita. Chegando na casa do cliente no horário marcado, o apóstolo é atendido pelo próprio cliente. Se apresenta e pergunta onde está o computador para que ele possa fazer a instalação do programa de acesso ao banco.

O cliente aponta uma mesa na sala onde se encontra o computador.

Neste momento, pergunta o apóstolo:

- E o modem, onde está?

O cliente responde:

- Modem não tenho.

O apóstolo preocupado, questiona:

- Mas eu liguei e a pessoa que me atendeu disse que já tinha o modem.

O cliente repete:

- Modem não tenho.

O apóstolo, insiste:

- Mas eu até expliquei como era o aparelho. Disse que o mesmo era preto com luzes vermelhas e a pessoa confirmou.

Neste momento o cliente aponta para o aparelho ao lado do computador e disse:

- Este rádio relógio?

O apóstolo contrariado agora vai ter que explicar que o cliente necessita adquirir um modem e marcar outro dia para a instalação.

Se deixei aqui algo não bem explicado ou que causou dúvidas, vou deixar aqui um e-mail específico para responde às mesmas, [email protected]


Quer escrever na Prensa?

Seja parte da nossa comunidade de Creators e contribua para uma internet melhor com artigos inteligentes, relevantes e humanos - que só você pode escrever.

Clique aqui para começar!


Topo