De oceano azul a vermelho: como a alta do mercado de streaming tem prejudicado a Netflix

De oceano azul a vermelho: como a alta do mercado de streaming tem prejudicado a Netflix
Reprodução: Media Center/Netflix

Em meados de abril deste ano, a Netflix anunciou que suas ações sofreram um "arrombo" de 25% no primeiro trimestre de 2022. O acontecimento raro ocorreu devido a uma queda massiva no seu número usuários em um único trimestre.

Pela primeira vez em 10 anos, durante o período foi registrado que a plataforma de streaming perdeu 200 mil inscritos.

E não para por ai, o próximo trimestre tende a piorar

Logo após o anúncio dos resultados do trimestre em questão, a Netflix fez uma projeção e em um pior cenário, a tendência era que a companhia iria perder em média 2 milhões de clientes.

Na última terça-feira foi divulgado ao mercado os resultados obtidos durante o segundo trimestre, e podemos dizer que foram um tanto satisfatórios e até impactou de uma forma positiva.

A companhia continua perdendo usuários, durante esse período, houve uma queda de 970 mil usuários em sua base de clientes, considerado a pior da história, contudo positiva em relação ao que era esperado.

Embora a queda massiva no número de clientes da companhia, no último trimestre a empresa teve um crescimento de US$ 8 bilhões no seu faturamento, e após a divulgação de terça-feira, suas ações tiveram uma valorização de 7% no "after market"

Atualmente com seus mais de 220,7 milhões de usuários, a Netflix espera um crescimento de 1 milhão de assinantes no terceiro trimestre. 

O crescimento do mercado de streaming

Com o surgimento da pandemia, o então mercado pouco explorado das plataformas de Streaming ganhou ainda mais destaque e o que era um completo oceano azul para a Netflix, vem se tornando um mar vermelho.

Novas plataformas de streaming surgem a cada dia, mas para bater de frente com a dona do "Tu-Dum", a concorrência não é de empresas novas que surgem a cada dia, mas sim de gigantes como Amazon, HBO, Disney, Globo, Apple e muitas outras.

Os serviços dessas companhias, fazem com que o público final opte por contratar os que melhor lhe atendem. E vale ressaltar que a Netflix, embora pioneira na modalidade, é também a com planos mais caros, o que deixa seu produto um pouco menos atrativo.

Mas não foram só esses fatores que impactaram nos resultados negativos da empresa, outros fatores como a alta da inflação no mundo todo, o fim do lockdown e ocorridos envolvendo a Rússia, foram cruciais para o impacto do primeiro trimestre da companhia.

Como a Netflix planeja se manter no pódio de um mercado onde já foi a pioneira?

Além de suas produções exclusivas e de grande diferencial no que diz respeito a concorrência, a companhia anunciou recentemente uma parceria com a Microsoft para ofertar um plano mais acessível de seu serviço.

É importante frisar aqui que, mesmo tendo perdido mais de 1 milhão de usuários nesses 6 primeiros meses de 2022, a série Stranger Things foi crucial para ajudar na retenção de usuários e sair na frente de seus concorrentes, por ser algo exclusivo.

Talvez o que pode ter causado a queda massiva no número de clientes da Netflix, possa ter ligação sim com o seu custo. Por ser uma das mais caras do mercado, a acessibilidade a mesma tende a diminuir, e, para resolver esse problema a companhia anunciou uma parceria com a Microsoft.

Segundo informações de Greg Peters, Chefe de operações e produto da Netflix, a empresa fechou um acordo global com a Microsoft para venda e tecnologias de publicidade para a viabilização de um novo plano, mais econômico e com anúncios.

"Todo esse processo ainda está em fase inicial, e sabemos que teremos muito trabalho pela frente. No entanto, temos clareza quanto ao nosso objetivo no longo prazo: oferecer mais opções para os clientes e uma experiência premium, melhor do que a da TV convencional, para os anunciantes. Estamos muito animados em contar com a Microsoft para dar vida a este novo serviço."

- disse Greg Peters, em anúncio oficial da companhia

Após esse anúncio surgiram rumores de essa parceria, tenha ligação com algo maior envolvendo a gigante de tecnologia Microsoft. Especula-se que a gigante de Bill Gates, esteja se preparando para comprar a dona Netflix. Mas, foi como dito, são rumores e especulações, ao menos até o momento.

 

 


Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo