Sistema excretor

Sistema excretor

Um breve resumo sobre os sistema excretor e suas partes principais.


 

O sistema excretor tem em sua composição 2 rins, 2 ureteres, bexiga e uretra. Ele é o sistema responsável por se desfazer das substâncias nocivas que sobraram no corpo após o metabolismo, pela regulação do volume da água e pelo Ph.

• Rins

Os rins são os órgãos principais nesse processo de excreção de substâncias, pois são eles que realizam a seleção do que continua na nossa corrente sanguínea e o que vai ser transformado em urina e será excretado do corpo. Anatomicamente, os rins possuem a forma de um caroço de feijão e estão localizados abaixo do diafragma na parte posterior do corpo, retroperitônio. Eles recebem sangue pelas artérias e veias renais, que adentram sua estrutura por meio do hilo renal, por onde também passa o inicio do sistema coletor.

Este órgão se divide em várias estruturas: Cápsula fibrosa, reveste o órgão; córtex renal, camada externa, próxima a cápsula fibrosa; medula renal, composta por um conjunto de piramides renais e colunas renais; o seio renal, abriga parte do sistema coletor. A parte funcional deste órgão fica presente no que chamamos de parênquima renal, composta pelo córtex renal e a medula renal. É nessas estruturas que é encontrado o néfron, estrutura em abundância no rim que realiza a reabsorção de nutrientes e a formação de urina.

• Néfron

O Néfron é a parte funcional do rim que absorve substâncias e produz a urina. Ele é formado pelo corpúsculo renal, composto da capsula glomerular e o glomérulo, amontoado de capilares arteriais; túbulo contorcido proximal; alça de Henle; túbulo contorcido distal; túbulo coletor. Durante todo esse caminho, o sangue entra no rim e dele é absorvido células sanguíneas e proteínas úteis (pela capsula glomerular), glicose, aminoácidos, cálcio, fosfato e parte da água e do sódio que forem úteis ao corpo (pelos capilares venosos presentes no exterior do túbulo contorcido proximal) e o restante da água útil ao corpo, que auxilia na pressão sanguínea (pelo túbulo coletor) em ordem.

Na alça de Henle e no túbulo coletor distal ocorrem a formação da urina e o controle do Ph, respectivamente. O corpúsculo glomerular e os túbulos contorcidos estão presentes da parte do córtex renal dos rins, já a alça de Henle fica presente nas pirâmides, assim como o túbulo coletor que se estende até a base das pirâmides e passa para os cálices menores, seguindo seu caminho pelo sistema coletor.

• Sistema Coletor

O sistema coletor se inicia com a passagem da urina para os cálices renais menores, que se encontram logo abaixo da base das pirâmides. Os cálices menores se juntam até formar cálices maiores e depois a pelve renal que se transforma em ureter e segue seu caminho até a bexiga.

A bexiga é um órgão que se assemelha a uma bolsa, pois acomoda a urina até que ela seja eliminada. Sua musculatura tem a capacidade de se distender para comportar até mais ou menos 800 ml. Quando ela atinge 300 ml da sua capacidade, o sistema nervoso manda um sinal para que tenhamos vontade de urinar e, por mais que possamos segurar a eliminação da urina por um tempo, após alcançar seu limite a bexiga se contrai para forçar a eliminação deste líquido.

Além disso, esse órgão também possui uma válvula denominada esfíncter urinal, que relaxado permite a saída da urina. Normalmente temos a capacidade de controlar essa válvula, porém se forçarmos o limite da bexiga, por decisão voluntária, o sistema nervoso obriga o relaxamento dessa válvula e libera a urina.

Segurar o xixi pode se tornar um prática e acaba por treinar o controle do esfincter, porém, ao alcançar seu limite máximo, a bexiga não consegue mais comportar a urina e a passagem dos ureteres é interrompida. Isso pode ocasionar em problemas muito graves como pedras nos rins, pois impede que os resíduos do corpo sejam excretados como deveriam.

Depois de atravessar o esfíncter urinal, a urina chega a uretra, por onde é finalmente excretada. Nos homens a uretra é mais longa e atravessa o pênis e nas mulheres ela é mais curta, passando pela vulva. O menor comprimento da uretra facilita a entrada de bactérias no sistema urinário, podendo causar infecções.

Topo