A Prensa foi feita para os ávidos e inconformados.

JavaScript é a melhor linguagem para o desenvolvimento Web

JavaScript é a melhor linguagem para o desenvolvimento Web

Sem dúvidas, o mercado da tecnologia vem ganhando uma grande força no cenário mundial, e a programação está inclusa nisso.

Com a pandemia causada pela COVID-19, muitas empresas tiveram de se adaptar à situação e aprimorar seu setor tecnológico para que pudessem continuar operando. Isto fez com que a demanda por profissionais de programação aumentasse consideravelmente. Ou seja, nos dois últimos anos, o setor ganhou mais atenção do que tinha antes.

Se você é uma das pessoas que criou o interesse na programação recentemente e está iniciando seu aprendizado no desenvolvimento web, já deve ter se perguntado: "Qual é a melhor linguagem de programação para desenvolver aplicações web?".

Acredito que não há uma resposta universal para esta pergunta, já que, como tudo na vida, há vantagens e desvantagens. A resposta vai sempre depender do contexto. Mas, com o que vou te mostrar neste artigo, suponho que você vai olhar o JavaScript como a melhor opção.

Página feita com HTML puro (Imagem - Unsplash).

Vamos começar pela definição de JavaScript dada pelo site do Mozilla destinado aos desenvolvedores disponibilizada neste link: "JavaScript (às vezes abreviado para JS) é uma linguagem leve, interpretada e baseada em objetos com funções de primeira classe, mais conhecida como a linguagem de script para páginas Web".

Tendo isso em mente, vou começar a te apresentar alguns pontos do porquê o JS é a melhor opção para você que está iniciando e até mesmo para você que já trabalha na área há algum tempo e está querendo evoluir, buscando novas tecnologias.

Caso você já conheça o básico do desenvolvimento web, deve ter percebido que sites feitos puramente em HTML e CSS são destinados para retornar páginas estáticas. Ou seja: sempre que um usuário tenta acessá-las, elas serão geradas da mesma maneira.

De forma simplificada, elas ficam salvas como arquivos estáticos e, quando há um acesso a uma delas, este arquivo é entregue ao navegador do usuário (que fez a requisição por ela), que por sua vez interpreta este arquivo e exibe de uma forma amigável ao usuário. Exatamente da mesma forma para todos que solicitarem. É aí que o JavaScript pode entrar como um complemento para páginas estáticas.

Em uma página entregue estaticamente, você pode fazer o uso do JS para torná-la mais dinâmica. Por exemplo, imagine um botão na sua tela que, apenas com o uso do HTML, tem somente uma função - quando o mesmo é do tipo submit e quando está dentro de um formulário. Usando o JavaScript, você pode implementar alguma funcionalidade a esse componente, permitindo que, ao clicar neste botão, surja algum conteúdo na tela que estava oculto anteriormente. A página, que era estática, se tornou um pouco mais viva e dinâmica.

Até agora só abordamos algumas poucas vantagens do JavaScript no front-end, ou seja, na parte visual da nossa aplicação onde podemos interagir. Mas o poder desta linguagem vai muito além disso. Quando queremos construir uma aplicação mais complexa, que precise guardar informações em um banco de dados e acessá-las, precisamos de um back-end, ou seja, o que está por trás da aplicação, que a permite funcionar da forma esperada.

É então que o Node.js aparece para ser o nosso ambiente de execução JavaScript server-side (do lado do servidor). Ele nos permite criar um back-end para auxiliar nosso front-end com processamento de dados e retorno de informações. Além disto, a comunidade da programação desenvolve bibliotecas de código aberto para agilizar nossa vida e não investirmos tempo criando uma solução que alguém já realizou.

Além de tudo isso, podemos ir um passo além. Dentre um dos projetos realizados por desenvolvedores como nós, existe o React: uma biblioteca JavaScript para criar interfaces para o usuário. Você pode estar se perguntando: "O que ela tem de especial?" Eu lhe respondo: ela permite o desenvolvimento de aplicações front-end baseadas em JS e no conceito de SPA (Single Page Application - aplicação de página única).

Você já deve ter reparado que, na maioria dos websites que você acessa na internet, seu navegador para, fica carregando e exibe a página aos poucos quando clica em um link. Isso acontece porque seu navegador requisita que o servidor entregue a página pronta para ele mostrar a você, e esse processo é feito toda vez que navegar entre links dentro daquele site.

As aplicações que seguem o princípio de página única (SPA) servem para resolver este problema da lentidão na navegação. Ao invés do navegador solicitar a todo momento pela página pronta, ele faz uma única requisição que retorna somente uma aplicação capaz de gerar todas as páginas do site, e de realizar outras solicitações por informações quando forem necessárias (ao invés de páginas inteiras).

Aquele momento chato esperando as coisas carregarem (Imagem - Giphy).

O React, além de seguir o conceito de SPA, é baseado em componentes. Isso quer dizer que sua aplicação pode ser composta por diversos componentes separados que podem ser reutilizados em diferentes páginas. Em outras palavras, sabe quando você tem um cabeçalho na sua página HTML pura, que está presente em todos os lugares do seu site, e você tem que copiar e colar aquele cabeçalho em todas as páginas? E quando você precisa fazer alguma alteração neste cabeçalho, tem que ir página por página para alterar? O React permite que você crie um componente para este cabeçalho uma única vez e reutilize ele em todos os lugares que quiser na sua aplicação.

Se você já está inserido há mais tempo neste meio da programação, pode estar se perguntando: "Por que devo fazer 2 aplicações (uma front-end e outra back-end) quando posso fazer apenas uma com outras linguagens como PHP, que já me entrega a página conforme eu queira? Vou listar alguns motivos:

1º Entregar uma página inteira é algo muito mais pesado, que exige um poder de processamento maior do que simplesmente entregar dados em formato JSON (JavaScript Object Notation) para serem processados pelo cliente;

2º Transferir páginas inteiras exige um tráfego de dados mais alto do que apenas transferir as informações, logo, maior o custo para sustentar a aplicação no ar;

3º Aplicações de página única possuem uma navegação muito mais rápida;

4º Ambas as aplicações front-end e back-end são feitas na mesma linguagem de programação;

5º Há uma divisão maior entre as responsabilidade do cliente e do servidor;

Resumindo, com o JavaScript, você pode construir uma aplicação robusta, moderna e escalável com apenas uma linguagem de programação, que lhe oferece diversas bibliotecas e frameworks para auxiliar no desenvolvimento dela.

Espero que eu tenha conseguido despertar em você a vontade de aprender ou de se aprofundar no JavaScript. Existem outras bibliotecas de front-end feitas em JS, como Vue.js e Next.js, mas acredito que o React é a melhor opção para começar a ingressar neste mundo, por isso esta foi apresentada neste artigo.

Sinta-se livre para explorar as mais diversas opções e descobrir qual é a melhor para o seu caso!

Topo