A Prensa foi feita para os ávidos e inconformados.

Batman: A sociologia por detrás do morcego

Batman: A sociologia por detrás do morcego

Se você acha que Batman é apenas uma história em quadrinhos sobre um cara rico que resolve combater o crime de sua cidade depois da morte de seus pais em um assalto, talvez você não tenha entendido direito.

A personagem do homem trajado de morcego engloba um universo muito mais complexo do que somente o da criança órfã traumatizada com a morte de seus genitores.

O Mestre em História e especialista em arte sequencial (história em quadrinhos), Savio Queiroz Lima, escreveu que “é evidente o teor político nas narrativas ficcionais de super-heróis, no vasto e tão rentável mercado estadunidense de entretenimento, fundamentalmente suas histórias em quadrinhos”. Em Batman, isso não seria diferente.

Gotham City: uma caricatura da realidade urbana

O universo de Batman se situa nos Estados Unidos da América, em uma cidade fictícia chamada Gotham City. Inspirada em dois grandes centros urbanos, New York City e Chicago, Gotham é uma cidade de violenta e com uma agitada vida noturna. A metrópole possui de problemas com delinquência atreladas a doenças mentais, até sequestros e assassinatos.

Marina Cavalcante Vieira, Doutora em Ciências Sociais pela UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), em seu artigo científico sobre o imaginário urbano de Gotham City, afirmou que “em uma análise rápida sobre os tipos de crime em Gotham, pode-se perceber a questão das gangues e crime organizado, bem como a questão de crime relacionado à loucura ou perturbação mental”.

Gotham City, por si só, é uma cidade tão perversa e cruel quanto os próprios vilões que a habitam. A releitura dos centros urbanos faz uma crítica a forma como as grandes cidades são administradas por seus políticos e como a estrutura social pode ser uma grande catalisadora de doenças mentais, propiciando a exclusão e cultivando sociedades cada vez mais maltratadas e engolidas pela ganância.

Concentração de renda durante dia e combate ao crime a noite

Em meados de 2012, uma charge elaborada pelo artista Zé da Silva ganhou espaço nas redes sociais. Nesta, o artista faz menção a única causa da violência urbana: a distribuição desigual de faturamento.

O fato Bruce Wayne ser um milionário, ou seja, a pessoa que mais concentra renda em Gotham City e depois transformar-se em Batman para combater a criminalidade que ele ajuda a alimentar com suas empresas o torna um hipócrita.

 

 

No entanto, Paulo Vinícius Souza Machado, em sua monografia sobre Batman, enxerga Thomas Wayne, pai de Bruce, como, “um dos maiores médicos e filantropos da cidade de Gotham. Ele também é dono das Empresas Wayne, mas não se dedica à administração de sua empresa, pois prefere estar mais disponível para ajudar as pessoas menos favorecidas e, o faz por meio do exercício da medicina e da filantropia: fazendo doações para entidades beneficentes”.

Assim sendo, apesar de realmente ser um grande industrial e empresário, Dr. Wayne é, antes de tudo, um ativista social, médico e filantropo. Suas fundações e serviços sociais são mantidos a partir da renda que obtém com a Wayne Enterprises. Com isso, ele retorna à sociedade muito mais do que adquire através de suas companhias. E em várias de suas versões, o filho Bruce segue nos passos do pai.

Na opinião do sociólogo e cientista político Vinícius Rauber e Souza, a violência é um produto da ganância que surge em detrimento das desigualdades sociais e da cultura de consumo. De acordo com ele, “quem mais se interessa por manter a ordem são os que possuem mais recursos e privilégios”.

Apesar disso, Vinícius explica que “é ingênuo supor que apenas uma causa como a desigualdade social ou mesmo a psicopatia de uma pessoa seja a causa da violência, em especial a que ocorre nas cidades. Múltiplos são os fatores que influem na propagação da violência”.

Em sua opinião, apesar de existirem estudos sugerindo que a violência é inferior em países com menor taxa de desigualdade, isso não é um fator impeditivo para a ocorrência de atos violentos, como é o caso do atirador da Noruega.

De Playboy a herói

Assim como seu pai possuía o serviço à sociedade como foco central de suas atividades, Bruce faz de seu objetivo de vida a prestação de serviços à cidade de Gotham. Muito mais do que milionário de dia e vingador à noite, Bruce Wayne, em suas fundações, aborda problemas socioeconômicos, auxilia vítimas e patrocina serviços sociais.

Ciente dos problemas sociais, políticos e econômicos que permeiam o âmbito e as ruas de Gotham City, Bruce Wayne tenta honrar a memória de seus pais fazendo mais do que seus genitores fizeram.

Eu juro, pelo espírito dos meus pais, vingar a morte deles e devotar o resto de minha vida combatendo todos os criminosos” – Bruce Wayne

Desta forma, ele não só da continuidade aos trabalhos sociais iniciados pelo Sr. e Sra. Wayne, mas também combate criminosos e tenta evitar que outras vidas sejam ceifadas em nome da ganância e da geração de renda.

 

Imagem de capa original: TheKevinMevlana / Deviant Art

Topo