Migrando para o SAP S/4HANA com a MuleSoft

Migrando para o SAP S/4HANA com a MuleSoft

O sistema SAP é um sistema computacional que permite às empresas gerenciar corretamente seus recursos humanos, logística produtiva, etc.’ 

O SAP está relacionado aos sistemas ERP (Enterprise Resource Planning), por se tratar de um sistema de informações que permite gerenciar as diferentes ações de uma empresa, principalmente aquelas que têm a ver com produção, logística, estoque, remessas e contabilidade. 

Seus serviços se destacam por cobrir, além disso, as necessidades administrativas e de seus clientes e proporcionar as ferramentas necessárias. 

Em 2015, foi lançado o SAP S/4HANA que representou um grande avanço para o software de planejamento de recursos empresariais (ERP).

No entanto, para garantir a continuação dos avanços, a SAP encerrará o suporte ao SAP ERP em 2025, exigindo que os clientes existentes atualizem para o S/4HANA.  

Dadas as complexidades dos panoramas modernos de TI, a migração para o S/4HANA representa o maior exercício de migração e integração que a maioria das organizações realizará. 

Infelizmente, as abordagens legadas não são mais adequadas ao objetivo, resultando nos seguintes desafios:  

  1. Ativação arriscada devido à falta de flexibilidade de transição.  

  1. Custos altos, pois os requisitos de desenvolvimento, teste e treinamento excedem as projeções.  

  1. Maior tempo de implementação, pois ocorrem atrasos no design, na migração de dados e na integração de sistemas externos. 

Os ERPs legados não foram projetados para sustentar essa escala e complexidade; portanto, ao considerar a migração para o S/4HANA, é fundamental criar uma infraestrutura flexível que se adapte às necessidades futuras da empresa.  

Embora essas necessidades emergentes aumentem a complexidade da migração, elas oferecem a oportunidade de (e talvez uma boa razão para) repensar seu panorama de TI. 

Quais os desafios de migração? 

A atualização do SAP ERP para o S/4HANA é uma tarefa complexa, provavelmente a atualização mais desafiadora que sua organização realizará.  

Talvez, seu ERP já está integrado a vários sistemas internos e externos por meio de uma combinação de código personalizado e ESBs legados.  

Isso, por si só, apresenta desafios consideráveis, pois cada um desses sistemas exige a reconstrução das respectivas integrações no S/4HANA. 

Embora a SAP tenha projetado o S/4HANA para evitar a necessidade de relatórios legados, você provavelmente tem uma estrutura de relatórios corporativos em que envia dados críticos do ERP para data warehouses por ferramentas de gerenciamento de informações. 

Esses dados são fundamentais para a compreensão das tendências e atuam como um sistema de registro de conformidade, criando assim a necessidade de um repositório de dados de longo prazo. 

Portanto, é necessário manter a capacidade de acessar dados legados com o S/4HANA. Para complicar ainda mais o panorama de TI, você pode operar linhas de negócios separadas, possivelmente em lugares diferentes, cada um com seus próprios ERPs.  

Mais uma vez, esses ERPs podem ser conectados ao ERP da sua sede por meio de abordagens legadas. Pior ainda, as abordagens de integração provavelmente não estão bem documentadas, e aqueles que executaram o trabalho podem já ter saído da sua organização. 

Por fim, é necessário realizar negócios com parceiros, fornecedores e clientes, e todos exigem integrações. Esses cenários precisam ser considerados e preservados ou modernizados durante a migração para o S/4HANA.  

Por outro lado, se hoje você estiver conduzindo esses processos manualmente, a migração para o S/4HANA apresentará a oportunidade de reimaginar esses relacionamentos de negócios e modelos operacionais.  

Apesar da complexidade mencionada, as empresas que adotam a mudança para o S/4HANA como uma oportunidade estratégica, viabilizada pelas abordagens e ferramentas de integração modernas, estarão à frente de seus pares graças a uma infraestrutura moderna de microsserviços. 

Abordagem legada não é a melhor opção para a migração 

Abordagens típicas de migração de ERP diminuem a chance de bons resultados, aumentando os custos e baixando as expectativas de conclusão.  

De um modo geral, a migração para o S/4HANA pode ser dividida nas três categorias abaixo, que ocorrem paralelamente:  

  1. Preparação da organização. 

  1. Preparação do sistema legado para migração.  

  1. Configuração do S/4HANA e aplicativos. 

No início dos programas de migração, é necessário alinhar a organização e o processo geral em torno do estado final desejado e dos requisitos de dados e design.  

Depois, começa o processo de preparação do sistema e dos dados ERP legados e a configuração dos ambientes do S/4HANA. Por fim, as integrações serão criadas entre o S/4HANA e o restante do panorama, permitindo testes de integração de sistemas. 

Antes de passar para a produção, os dados serão migrados para o S/4HANA e começará o treinamento para o teste de aceitação do usuário, seguido pelo treinamento do restante da organização antes da entrada em operação.  

Se tudo correr conforme o planejado, a migração será concluída dentro do prazo e do orçamento. Mas, é claro, isso quase nunca acontece, pois qualquer falha no processo coloca todo o programa de migração em risco. 

As abordagens de migração legadas têm dependências frágeis. Por isso, elas não são adequadas ao mundo complexo e veloz em que vivemos. 

A escolha por este processo de migração pode acarretar em: 

Dados indisponíveis para design: Como a integração dos ambientes de desenvolvimento e teste do S/4HANA aos apps de terceiros geralmente ocorre no final da migração, dados essenciais geralmente não estão disponíveis para orientar o programa. Isso tende a gerar erros durante a fase de design. Como atalho, dados sujos costumam ser alimentados no S/4HANA para orientar desenvolvedores e testadores, e o design acaba sendo baseado em padrões e definições incorretas. 

Apps de terceiros não validados: Outra desvantagem de adiar a integração no programa de migração é que apps e serviços de terceiros não são validados até pouco antes da transição para o S/4HANA, aumentando consideravelmente o risco de problemas durante a conclusão do processo. Apps móveis, apps SaaS e outros sistemas de registro exigem testes rigorosos, e as abordagens tradicionais de migração atrasam esses testes.  

Falta de flexibilidade de transição: As organizações precisam de flexibilidade para migrar de acordo com as necessidades dos negócios, seja por região geográfica, módulo de ERP, linha de negócios, período ou qualquer outro método.  

Abordagens big-bang não costumam ser aconselháveis e, como resultado, haverá a necessidade de operar o SAP ERP e o S/4HANA paralelamente. Infelizmente, uma abordagem de migração legada não oferece essa flexibilidade; ela exige bastante desenvolvimento personalizado, soluções alternativas, treinamento adicional e alinhamento organizacional. 

Como migrar de uma forma simples e segura? 

A migração para o S/4HANA exige um novo paradigma e novas ferramentas para atender às suas necessidades comerciais futuras.  

A abordagem API-led da MuleSoft permite que sua organização adote duas estratégias avançadas de migração: 

  1. Migração flexível por módulo ERP, geografia, linha de negócios, período ou qualquer outra combinação, usando APIs para expor funções de negócios de seus sistemas subjacentes.  

  1. Criação de uma arquitetura preparada para o futuro, evoluindo seu panorama de TI do monolito para uma plataforma de negócios moderna, dividindo a funcionalidade do ERP em microsserviços, promovendo agilidade para necessidades futuras. 

Através da abordagem API-led da MuleSoft  o processo de migração para o S/4HANA garante vários benefícios para sua organização, como: 

Proteção contra riscos  

  • Eliminação da necessidade de uma arriscada abordagem big-bang.  

  • Teste e validação antecipada de integrações para evitar desafios na ativação. 

Aceleração da entrega 

  • Paralelização do desenvolvimento em S/4HANA durante a criação de integrações e APIs. 

  • Redução da personalização do S/4HANA com uma configuração padronizada e pronta para uso. 

Redução de gastos 

  • O desenvolvimento simultâneo reduz as necessidades de ambientes adicionais e, portanto, os custos de licenciamento para SAP e outros sistemas. 

  • Racionalização dos sistemas e aplicativos legados enquanto moderniza os processos de negócios 

Maximização dos resultados de negócios  

  • Migrações em fases alinhadas às necessidades da sua organização.  

  • Criação de uma infraestrutura moderna, baseada em microsserviços, para agilidade futura. 

A Anypoint Platform da MuleSoft é a única capaz de oferecer essa abordagem API-led como plataforma unificada para projetar, criar, implementar, gerenciar e monitorar APIs e integrações, seja on-premises, na nuvem ou em um ambiente híbrido.  

Do SAP ERP e S/4HANA aos sistemas legados e apps SaaS mais avançados, a Anypoint Platform elimina a necessidade de navegar por várias ferramentas diferentes em toda a organização.  

Como resultado, a plataforma unificada da MuleSoft elimina o risco e acelera seu programa de migração para o S/4HANA.  

Além disso, e igualmente importante, cria uma arquitetura de micros serviços flexível, escalável e moderna para crescimento futuro. 

Topo