Ler clássicos é realmente necessário?

Ler clássicos é realmente necessário?

Pierre Auguste Renoir - "A Leitura" - 1890

Todos nós, em algum momento da vida, nos deparamos com a leitura de livros clássicos, e aposto que todos tiveram esse primeiro contato na escola.

Normalmente, essa introdução ocorre por volta dos 12 anos de idade, através de livros como “Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “Dom Casmurro” do Machado de Assis, “A Hora da Estrela” da Clarice Lispector, dentre tantos outros. Entretanto, é comum não termos gostado de tais livros. De uma forma geral, é mais comum ainda que esse tipo de contato nos tenha gerado um sentimento de medo e, até mesmo, repulsa pela literatura clássica brasileira, o que nos leva ao título desse texto: Ler clássicos é realmente necessário?

A princípio pode parecer que não, mas o contato com a literatura clássica brasileira é necessário, sim. A leitura desses livros nos levam a conhecer não só belas histórias repletas de muitas aventuras, romances e divagações, mas também nos ajudam a compreender melhor como funciona cada escola literária, os costumes da época, questões histórias, sociológicas…

As possibilidades são infinitas. Contudo, se a literatura clássica pode nos proporcionar todos esses aprendizados, por qual motivo não conseguimos compreender a grandiosidade dessas obras? As respostas podem parecer fáceis, mas esse assunto é muito mais profundo do que parece.

Quais questões devemos levantar?

A primeira questão que se deve levantar é: antes de lermos esses livros na escola, tivemos alguma introdução literária na escola? Tivemos contato com a literatura desde o primeiro ano do ensino fundamental, com livros obrigatórios de acordo com a nossa idade?

Pode parecer besteira, mas isso faz toda a diferença no desenvolvimento do gosto da criança pela leitura, e a falta de investimento na cultura e o sucateamento do ensino tem tornado cada vez mais escassa a introdução à literatura em escolas públicas, se tornando uma vaga lembrança do que um dia começou a ser.

Entretanto, existe outra coisa que pode ajudar a instigar os pequenos a gostarem de ler desde cedo: a introdução à literatura em casa, com leituras de livros infantis, contando histórias, estimulando a criança a ter mais contato com a literatura. Isso pode, sim, fazer toda a diferença, e pode, sim, fazer com que uma criança, ao alcançar seus 10 ou 12 anos de idade, consiga compreender melhor os livros clássicos machadianos, claricianos, entre outros. 

A construção de vocabulário se dá através do contato com a literatura desde muito cedo, logo, não adianta exigir que alguém entenda um vocabulário robusto e de época quando essa pessoa nunca teve contato com a literatura antes.

O que fazer, levando tudo isso em conta?

Estimule o seu filho, sobrinho, neto, afilhado, a ler, mostre à criança livros para a idade dela, conte histórias a ela antes de dormir, seja você a sua porta de entrada para a literatura! Ou você vai esperar que a escola faça tudo isso, mesmo sabendo que ela não vai?

O universo da literatura infantil é muito vasto e lindo, há inúmeras possibilidades de livros para você introduzir aos pequenos de maneira simples, fácil, rápida e até mesmo interativa. As livrarias e bibliotecas estão sempre recheadas de livros para crianças de todas as idades, cada um com sua particularidade e beleza, e com certeza um deles fará a diferença na vida da criança, fazendo com que ela se lembre dele para sempre e crie gosto pelo hábito da leitura. Essas atitudes podem fazer toda a diferença.

Seja você o exemplo para as crianças, estimule nelas o hábito da leitura e, quem sabe, a próxima geração possa ser a que vai finalmente entender a importância e beleza da literatura clássica brasileira.


Quer escrever na Prensa?

Junte-se a uma comunidade de Creators que estão melhorando a internet com artigos inteligentes, relevantes e humanos. Além disso, seu artigo pode fazer parte do Projeto de Monetização, e você pode ganhar dinheiro com ele!

Clique aqui para se cadastrar e venha com a gente!


Topo