Seu guia completo para construir APIs de sucesso e acelerar sua Transformação Digital

Transformação Digital: Empresas mais ágeis e eficientes

Transformação Digital: Empresas mais ágeis e eficientes

Não há como negar que nas últimas décadas a sociedade como um todo foi transformada pelo fator tecnológico cada vez mais presente em nosso cotidiano. Uma nova economia surge e com ela produtos inovadores, consumidores exigentes e empresas se reorganizando para conseguir suprir as novas demandas de mercado.

Agilidade e eficiência nos processos se tornaram fundamentais e daí temos o surgimento da Metodologia Agile. Esse termo teve como base o “Manifesto Ágil”, uma declaração composta de princípios e valores para o desenvolvimento de software. Tal manifesto foi criado e assinado em 2011 por 17 desenvolvedores praticantes de métodos ágeis (XP, DSDM, SCRUM e etc), que buscavam maior agilidade e satisfação dos clientes.

Desde então, esses princípios têm sido adaptados para outras empresas, produtos e mercados. A Microsoft e IBM são exemplo de grandes organizações que já utilizam dessa metodologia em seus processos.

Dados da pesquisa da consultoria QSM comprovam o porquê dessa escolha: a Metodologia Ágil acelera em 50% o tempo para colocar um produto no mercado e aumenta a produtividade em 25%.

Optar por uma gestão ágil pode representar a sobrevivência de uma empresa, especialmente quando as ligadas ao setor tecnológico, pois auxilia em mudanças mais fáceis e rápidas ao longo de um projeto.

Dessa forma é mais eficiente que sua empresa entregue um protótipo de maneira rápida, receba um feedback e faça as alterações necessárias do que realize uma busca indefinida pelo produto final. Tudo isso por que a Metodologia Agile coloca a satisfação do cliente em um grau de importância maior que os planos pré-estabelecidos. O resultado é um cronograma fragmentado em diversas etapas curtas conhecidas por Sprints.

Alguns dos benefícios que essa metodologia promove nas empresas são:

  • maior qualidade de produtos e serviços;
  • cronogramas mais assertivos;
  • redução de custos;
  • menores riscos durante desenvolvimento.

Empresas que escolheram por alguma das metodologias ágeis já estão colhendo os frutos. Segundo estudo publicado em 2017 pela consultoria PwC 22% das empresas que mais obtiveram lucros nos três anos anteriores à pesquisa utilizavam metodologias ágeis na maioria de seus projetos.

As principais metodologias ágeis são as seguintes:

LEAN

O método tem sua origem na manufatura japonesa do fim da década de 1940, tendo sido desenvolvido pela Toyota. O termo lean pode ser entendido como “enxuto”, logo ele se baseia na utilização de apenas recursos vitais para determinado projeto, evitando desperdícios e custos desnecessários.

A partir dos princípios do lean, gestores conseguem aproveitar melhor o tempo de seus funcionários e até aumentar a produtividade das equipes.

KANBAN

Descendente da metodologia lean, kanban também foi criado pela empresa Toyota na década de 1960. Esse método de gestão consiste em facilitar a visualização de atividades, equilibrar a demanda e a capacidade de entrega.

Por exemplo, é usado um quadro dividido em colunas que representam as etapas das tarefas (a fazer, execução e concluída). As atividades são escritas em cartões coloridos e posicionadas no quadro de acordo com seu status atual.

Além de definir cada etapa, o kanban delimita um limite de tarefas para cada coluna, isso ajuda os colaboradores a não ficarem com um excesso de com atividades em andamento, controlando dessa forma o fluxo de produção.

Por meio do kanban, muitas empresas conseguem entregar um software ao cliente dentro do menor tempo possível.

SCRUM

Criado pelo americano Jeff Sutherland, esse framework é utilizado na gestão ágil de projetos e desenvolvimento de softwares. Os projetos são divididos em etapas menores, conhecidas por sprints, sendo cada uma delas realizada em um curto período de tempo.

Antes de cada sprint ter início, a equipe organiza um sprint planning. É nessa reunião que o Product Owner apresenta aos membros os itens mais importantes do Product Backlog e assim o grupo pode selecionar o que fará parte do Sprint Backlog.

Ao longo do Sprint, que pode durar de uma a quatro semanas, o grupo acompanha seu progresso por meio da Daily, uma reunião rápida de minutos, cujo objetivo é o alinhamento de todos os integrantes da equipe.

No fim de cada Sprint é feita uma Review Meeting, na qual é apresentado ao Product Owner as atividades desenvolvidas e seus resultados, finalizando o Sprint.

Gostou do artigo? Aproveita para me seguir aqui e se cadastrar no API Playbook para ter acesso à entrevistas, video-aulas e artigos voltados ao ciclo de vida de APIs, Governança e Developer Experience.

Topo